Mioma: Por que você deve ter cuidado com ele? #OutubroRosa

Mesmo nos últimos dias o Outubro Rosa ainda está aí para alertar e conscientizar a população como um todo sobre os problemas causados pelas chamadas doenças femininas e, entre elas, o Mioma é considerado um dos males mais comuns. Este artigo é de suma importância e foi elaborado pela Dra. Denise Coelho que é blogueira e médica ginecologista e obstetra. 

Como a maioria das doenças que acometem as mulheres são consideradas silenciosas – os sintomas nem sempre são perceptíveis no início, mas aparecem com o seu desenvolvimento – é importante que nós, mulheres, observemos constantemente o nosso corpo e busquemos por informações. E por falar em informações, este artigo vai te mostrar porque você não deve subestimar o Mioma. Confira!

O que é o Mioma?

Também é conhecido como fibromas ou leiomiomas, embora possa surgir em várias partes do corpo, o útero, digamos, é a sua região favorita,através de uma célula muscular onde carrega o seu código genético.

Ele cresce mais facilmente durante o período fértil feminino devido ao estímulo que o organismo sofre com o estrogênio e, com isso, o problema poderá ser estendido até a ocorrência da menopausa. Além do mais, já foi observado que cerca de 50% das mulheres que desenvolvem o Mioma são negras,o que leva muitos médicos a acreditarem que a doença possui um fator genético preponderante.

O Mioma é considerado um tumor benigno que pode se desenvolver fora, dentro e entre as paredes do útero, como também no interior da cavidade uterina. Desta forma, eles recebem os seguintes nomes: Mioma subseroso (é aquele que se localiza fora das paredes uterinas), o Intramural (entre as paredes do útero) e o submucoso (na parede interna do útero e pode acarretar problemas para o endométrio).

Sintomas do Mioma

Em primeiro lugar é importante mencionar o fato de que muitas mulheres com Mioma não apresentam os sintomas, os quais são os seguintes:

· Aumento do volume abdominal;

· Menstruação excessiva;

· Dor no abdome e durante as relações sexuais;

· Fortes cólicas durante o período menstrual;

· Perda de sangue em período fora da menstruação;

· Aumento da vontade de urinar;

· Prisão de ventre e retenção de gases.

Como é feito o diagnóstico

Após relatar os sintomas sofridos o ginecologista poderá solicitar os seguintes exames:

· Ultrassom com a infusão de solução salina;

· Ressonância magnética;

· Histeroscopia;

· Histerossalpingografia.


Tratamento do Mioma
Não existe um tratamento único e específico para o Mioma, mas como grande parte do diagnóstico é realizada tardiamente, a cirurgia de remoção é alternativa mais viável para alguns casos, sendo os mais comuns:

· Miomectomia abdominal;

· Miólise;

· Embolização da artéria uterina;

· Cirurgia com ultrassom;

· Histerectomia;

· Laparoscópica ou robótica;

· Ablação endometrial e ressecção de miomas submucosos.

Outras alternativas que também são empregadas para o tratamento do Mioma são os seguintes:

· Uso de contraceptivos;

· Medicamentos com hormônios, para que o desenvolvimento do óvulo seja impedido;

· Anti-inflamatórios não esteroides;

· DIU;

Suplementos que contenham ferro e vitaminas que auxiliem no controle do sangramento.

O Mioma é perigoso?

Como já disse e muitos especialistas repetem o Mioma é um tumor benigno, mas como os seus sintomas demoram a aparecer ele acaba se desenvolvendo e com isso pode gerar muito desconforto, dor, além de prejudicar a qualidade de vida da mulher. Nos casos mais graves há a ocorrência da remoção integral ou parte do útero.

Em outras palavras, o Mioma é silencioso e por isso merece atenção redobrada. Faça exames periódicos e informe o seu médico sobre qualquer anormalidade sentida. Cuide-se sempre!

Este texto é de autoria de Denise Coelho que é blogueira e médica ginecologista e obstetra. Apaixonada por internet e por sua profissão, criou o blog Portal Bebês para auxiliar mulheres, mamães ou não, a cuidarem melhor da saúde.

Compartilhe:

0 Mensagens

Comentários
0 Comentários